Introdução

Mãe de 3 filhos (Rodrigo, Philippe e Fernanda), avó (quatro netas: Eduarda, Mirela, Luna e Laura), Supervisora Educacional, Profª aposentada de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira; Pedagoga e Pesquisadora, Graduada em Letras e Pedagogia e Pós-Graduada (Especialista em Língua Portuguesa e Iniciação Teológica); Mestre em Letras e Ciências Humanas. Trabalho muito, estudo bastante, adoro pesquisar, ler boas obras; folhear jornais e revistas, assistir telejornais; viajar, ir ao Shopping, utilizar a Internet. Crio algumas "quadrinhas", gosto de elaborar projetos que não sejam engavetados.

The Daily Puppy

Daily Calendar

Postagens populares

Total de visualizações de página

http://www.lokaliza.com.br

Notícias

Loading...

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Eu também teria ido a Cuba apresentar trabalho com base em preocupações com meus alunos... Queria poder entender mais, para ajudar.

Nunca pretendi invadir o espaço de ninguém. Sei que existem especialistas nas mais diferentes áreas do conhecimento, respeito a todos, assim como quero que respeitem a mim em minha profissão, nas pesquisas, na vida. Mas, devido a cada ano encontrar nas turmas vários casos de alunos e alunas com diagnóstico de TDA/H e/ou suas comorbidades interessei-me em tentar entender, como mãe, avó, educadora, pedagoga, professora, pesquisadora, pessoa humana de fé em Deus, enfim... Comprei livros, assisti palestras, conversei com especialistas, pais e responsáveis por alunos com o diagnóstico ou em observação, consultas e exames, assisti filmes, pesquisei na Internet e eis que escrevi um artigo. Enviei para um congresso em Cuba e foi aceito. Tenho resumo publicado em Anais de Congresso, cheguei a efetuar a inscrição, mas não pude viajar, apesar de a viagem ser em época de férias escolares. O fato é que não pude pagar a viagem. Teria até onde hospedar-me. Um professor da Unigranrio é cubano e entrou em contato com os pais dele, com os quais conversei por telefone e mostraram-se amabilíssimos em acolher-me em sua casa, mas eu não poderia pagar as passagens e manter-me por lá na ocasião do evento. Eram férias, o décimo-terceiro e as férias já tinham acabado no final do ano mesmo e, como estava com prestações, tinha meu salário grandemente comprometido com o Mestrado, faculdade de minha filha, orçamento doméstico, essas coisas... Sou gestora, sei empreender bem minhas tarefas, nem preciso de cursos caros para isso... E, assim, tenho sobrevivido a muitos reveses. Porém, com fé em Deus, tudo se resolve. Preciso agradecer pelo dom da Vida!

(Clique na imagem para ampliá-la)



Nenhum comentário: