Introdução

Mãe de 3 filhos (Rodrigo, Philippe e Fernanda), avó (quatro netas: Eduarda, Mirela, Luna e Laura), Supervisora Educacional, Profª aposentada de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira; Pedagoga e Pesquisadora, Graduada em Letras e Pedagogia e Pós-Graduada (Especialista em Língua Portuguesa e Iniciação Teológica); Mestre em Letras e Ciências Humanas. Trabalho muito, estudo bastante, adoro pesquisar, ler boas obras; folhear jornais e revistas, assistir telejornais; viajar, ir ao Shopping, utilizar a Internet. Crio algumas "quadrinhas", gosto de elaborar projetos que não sejam engavetados.

The Daily Puppy

Daily Calendar

Postagens populares

Total de visualizações de página

http://www.lokaliza.com.br

Notícias

Loading...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Para registrar em nossa memória o quanto padece nosso povo


Vivemos num país tropical, abençoado por Deus e bonito por Natureza. Onde há futebol, samba, beleza, grandeza, muitos intelectuais... Mas, existe o descaso, ainda, com tragédias como as mais recentes em Alagoas e Pernambuco. Já houve outras tantas. Mesmos motivos. Se houvesse maiores investimentos em saneamento básico, em habitações, em... Há uma lista imensa! Elegem-se pessoas e ... Nada! A transformação de mentalidades está passando da hora de acontecer. É impossível conformarmo-nos tragédias.

Problemas existem para serem solucionados! AVANTE, Tê!

Problemas muito graves atingiram-me psicologicamente nos últimos meses. Problemas familiares, que sei que todos os temos, problemas de saúde (tenho há anos síndrome do pânico, mas que conseguia administrar com tratamento médico) agravaram-se devido a esses problemas familiares e também profissionais. Tudo isso quando eu deveria estar mais tranquila para ler e escrever a minha dissertação de mestrado, que vem se arrastando, como eu não desejaria que fosse. Não gosto de gerúndios prolongados e esse título “mestranda” está cansativo em meu currículo. Sempre fui dinâmica e decidida. Sinto-me passiva, estagnada, travada, indecisa. Preciso ficar BEM para que tudo volte à normalidade em minha vida. Deus é meu PAI, meu amigo, meu tudo. Confio, tenho Fé! Tudo ficará muito BEM! AMÉM, Senhor Deus, Pai Todo Poderoso!

sábado, 26 de junho de 2010

A moda de palavras



Usa-se muito a palavra “gestão”, mas não se sabe exatamente a organização necessária para esse “gestar”.  Para isso precisamos identificar bem conceitos importantes como o que nos aponta a palavra “participação”. Perguntas importantes precisam ser feitas para “visualizar” a ação dessa palavra: quem pode participar? Quem gosta de partilhar com o grupo? Quem é capaz de desempenhar ações concretas para efetivar essa participação? Quem tem sempre prontidão para a participação? Quem participa espontaneamente, sem ser obrigado, e está sempre disposto a colaborar? Com quem se pode contar para efetivar ações? Fazer perguntar e visualizar rostos “sorridentes” e prontos para partir para a ação com responsabilidade ajuda muito! Nada deve existir só porque é modismo... Imaginemos a responsabilidade que é gestar um filho. A gestação exige planejamento responsável. Não basta dizer: quero um filho novo! Esquecer o filho mais velho, desprezá-lo, exatamente no momento que ele mais precisa é uma irresponsabilidade desumana... “Ah, vou jogar fora esse filho e providenciar um novinho em folha!” Já imaginaram o que seria do mundo se os pais agissem desse modo grosseiro? Há um comercial que apresenta o slogan: “Não basta ser pai, tem que participar!” Organizações de grande peso, com o medo de serem “paternalistas” tornam-se por vezes “oportunistas” e vislumbram oportunidades de jogar fora o que julgam “ser velho” para respirar novos ares... Li um texto no blogspot de Danilo Gandim que diz:
“Para os que estamos ocupados com entidades cujo primeiro fim não é ganhar dinheiro, mas contribuir na (re)construção da sociedade, como órgãos e setores governamentais, como escolas, sindicatos, igrejas, partidos políticos etc., para os que acreditamos que a sociedade pode crescer em justiça, liberdade, democracia, felicidade... a participação adquire outro significado, muito mais importante. Participar é construir em conjunto os rumos que nos servirão de horizonte, a avaliação da nossa prática e o fazer e o ser que vamos viver nos próximos tempos. Claro que a gestão continua necessária: a ela compete coordenar este processo participativo, providenciar a execução dos planos elaborados participativamente, velar pelos recursos e cuidar que a entidade funcione. Esta gestão, embora deva ser uma vivência apaixonada, é um trabalho técnico que deve ser exercido, se possível, colegiadamente, quer dizer, por uma equipe bem organizada. E ficaremos com uma gestão colegiada e um processo de planejamento participativo. Esta precisão na linguagem trará clareza e mais força nos processos de construção do novo”.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

ARTE

Li algo, nas apostilas de Pedagogia da UERJ, que minha filha cursa, sobre leitura de obra de arte, leitura da imagem. Isso evidentemente me interessa porque, se o assunto é leitura, meu envolvimento é incomensurável. Então, busquei informações sobre a proposta triangular de Ana Mae Barbosa. Li que este estudo propõe que o conhecimento em Arte deve acontecer numa interlocução entre a experimentação, informação e codificação. Assim, estabelece três eixos de aprendizagem – Leitura das obras de arte (questionamento, investigação, compreensão, observação pormenorizada),  Contextualização (História da arte, o momento em que ela acontece e a criticidade que desenvolve) Produção (experienciar a arte, elaborá-la com transformação e criação artística).
 Podemos, portanto, falar de uma alfabetização visual, isto é, habilitar os alunos para a compreensão de uma sintaxe visual. A percepção de sutilezas ou nuances na observação atenta da arte permite ao indivíduo também a percepção, a compreensão, o detalhamento de diferenças sutis ou a descoberta de possibilidades que não tenham sido apresentadas em qualquer campo de atuação humana. Não é uma tarefa simples, uma vez que este aspecto do ensino da arte é feito em conjunto com a prática e a apreciação. Visitar museus, com perspectivas maduras de análise contribui muitíssimo! A produção ou o fazer artístico costumam exercer um fascínio sobre todos nós; também a manipulação dos materiais artísticos e o aspecto lúdico do contato com esses materiais sempre encantam e envolvem.
O ensino da Arte na escola já tem o seu campo definido, é uma área do conhecimento que contribui inegavelmente para a formação geral do indivíduo; NINGUÉM TEM QUE FICAR A QUESTIONAR A IMPORTÂNCIA DA DISCIPLINA! É preciso, além do respeito pela formação deste profissional de Arte, reconhecer o quanto a sensibilidade, o gosto estético, a observação apurada de valores de criação são práticas de vida. “Usar as aulas de Artes para a produção de objetos, utensílios e desenhos destinados a comemorações de datas ou esperar que um arte-educador seja o decorador da escola é um equívoco que está cada vez mais sendo banido das práticas escolares”.


Recebi por e-mail... É verdade!

(Apenas para descontrair um pouco... Sabe aqueles momentos em que é necessário rirmos para que o choro não nos deixe desacreditar de tudo aquilo em que sempre acreditamos?)


SOU UM PROFESSOR QUE PENSA...
Pensa em sair correndo toda vez que é convocado para uma reunião, que
certamente o responsabilizará mais uma vez, pelo insucesso do aluno.
SOU UM PROFESSOR QUE LUTA...
Luta dentro da sala de aula, com os alunos, para que eles não matem
uns aos outros.
Que luta contra seus próprios princípios de educação, ética e moral.
SOU UM PROFESSOR QUE COMPREENDE...
Compreende que não vale a pena lutar contra as regras do sistema, ele
é sempre o lado mais forte.
SOU UM PROFESSOR QUE CRITICA...
Critica a si mesmo por estar fazendo o papel de vários outros
profissionais como: psicólogo, médico, assistente social, mas não
consegue fazer o próprio papel que é o de ensinar.
SOU UM PROFESSOR que tem esperança, e espera que a qualquer momento
chegue um "estranho" que nunca entrou em uma sala de aula, impondo o
modo de ensinar e avaliar.
SOU UM PROFESSOR QUE SONHA...
SONHA COM UM ALUNO INTERESSADO,
SONHA COM PAIS RESPONSÁVEIS,
SONHA COM UM SALÁRIO MELHOR, UM MUNDO MELHOR.
ENFIM, SOU UM PROFESSOR QUE REPRESENTA...
Representa a classe mais desprestigiada e discriminada, e que é
incentivada a trabalhar só pelo amor à profissão.
Representa um palhaço para os alunos.
Representa o fantoche nas mãos do sistema concordando com as falsas
metodologias de ensino.
E esse professor, que não sou eu mesmo, mas é uma outra pessoa,
representa tão bem, que só não trabalha como ator,porque já é
PROFESSOR e não dá para conciliar as duas coisas.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Saber ser amig@



Sempre busquei ser amiga dedicada. Não tive muita sorte com as amizades escolhidas. Gostaria que não houvesse tanta competitividade negativa, especialmente em setor de trabalho! Que houvesse espaço para tod@s serem felizes, sem precisar sacrificar os demais. Competir, positivamente, faz superar desafios e ajuda a crescer, mas a sociedade, como um todo, não é assim... Considero muito representativa essa foto que saiu publicada no jornal O globo, não sei exatamente de qual data (procurarei saber o dia, até para colocar os créditos de autoria da foto, também).





CIENTISTA



Neste país de pagodeiros, jogadores de futebol, políticos corruptos, mulheres playboyzentas, puxadores de tapetes, injustiças em tantas esferas e outras mazelas aplaudidas, os pesquisadores não são (re)conhecidos, mas continuam com seu brilhante trabalho, salvando vidas.
Hermann Schatzmayr, nossas orações por seu trabalho, suas pesquisas, sua vida! 


domingo, 20 de junho de 2010

Aplausos ao João!





Em cartaz com a peça: "Chico Xavier... E nada mais"

Com o João Neto, meu vizinho e ex-aluno do CSA!

Não exatamente meu aluno,

mas juntos estivemos no mesmo turno

Vários tons, tins-tins! Muitos brindes e tais!

João está imbatível interpretando vários papéis! Performance!

O menino do ferimento, o Padre, o pai do Chico Xavier, o irmão,

O Guia Espiritual... Polifônico, cômico, dramático, enfático...

Fantástico, João!

Minha e nossa emoção!

Também nossa alegria:

Seu pai, sua mãe, sua irmã, amigos e companhia!

Ao João, nossos aplausos a cada dia!


Professora Terezinha Fatima Martins Franco Brito

****************

Local: Teatro Henriqueta Brieba
( Av. Conde de Bonfim, 451 - dentro do Tijuca Tênis Clube)

Dias: 19/06 (sábado) - 20h
20/06 (domingo) - 19h
26/06 (sábado) - 20h
27/06 (domingo) - 19h
Ingressos: Inteira R$30 e meia R$15
Contamos com a presença de vocês!!!

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Eu também teria ido a Cuba apresentar trabalho com base em preocupações com meus alunos... Queria poder entender mais, para ajudar.

Nunca pretendi invadir o espaço de ninguém. Sei que existem especialistas nas mais diferentes áreas do conhecimento, respeito a todos, assim como quero que respeitem a mim em minha profissão, nas pesquisas, na vida. Mas, devido a cada ano encontrar nas turmas vários casos de alunos e alunas com diagnóstico de TDA/H e/ou suas comorbidades interessei-me em tentar entender, como mãe, avó, educadora, pedagoga, professora, pesquisadora, pessoa humana de fé em Deus, enfim... Comprei livros, assisti palestras, conversei com especialistas, pais e responsáveis por alunos com o diagnóstico ou em observação, consultas e exames, assisti filmes, pesquisei na Internet e eis que escrevi um artigo. Enviei para um congresso em Cuba e foi aceito. Tenho resumo publicado em Anais de Congresso, cheguei a efetuar a inscrição, mas não pude viajar, apesar de a viagem ser em época de férias escolares. O fato é que não pude pagar a viagem. Teria até onde hospedar-me. Um professor da Unigranrio é cubano e entrou em contato com os pais dele, com os quais conversei por telefone e mostraram-se amabilíssimos em acolher-me em sua casa, mas eu não poderia pagar as passagens e manter-me por lá na ocasião do evento. Eram férias, o décimo-terceiro e as férias já tinham acabado no final do ano mesmo e, como estava com prestações, tinha meu salário grandemente comprometido com o Mestrado, faculdade de minha filha, orçamento doméstico, essas coisas... Sou gestora, sei empreender bem minhas tarefas, nem preciso de cursos caros para isso... E, assim, tenho sobrevivido a muitos reveses. Porém, com fé em Deus, tudo se resolve. Preciso agradecer pelo dom da Vida!

(Clique na imagem para ampliá-la)



segunda-feira, 14 de junho de 2010

Eu estaria em Hong Kong, na Universidade de Lingnan...



Não irei porque os pesquisadores, estudantes, professores não têm condições de custear viagens... Lamenta-se, principalmente quando, para completar, perdemos um emprego que possibilitaria assumir o parcelamento das passagens... Que todos que me conhecem saibam que eu estou muito triste... A universidade chegou a oferecer-nos uma ajuda de custos, que agradecemos bastante e sabemos que não é possível que uma instituição possa oferecer mais que isso, pois são muitos alunos e os eventos também são diversos, nas mais diferentes áreas. Seríamos, meus colegas de mestrado e eu, os únicos representantes do Brasil no evento. Mas, ninguém se importa com isso. Que o nosso amigo Ricardo Luiz dos Santos, que viajará, possa transmitir em sua fala os caminhos da educação que todos pretendemos! Paz e Bem, amigo! Sucesso!


Essa é a sessão, uma mesa de debates organizada por nosso colega de Mestrado da UNIGRANRIO!

O link é: http://www.crossroads2010.org/day3_programme.html


Panel 5.27      Education Challenges in Emerging Countries in Post Modernity  


Organizer:      Ricardo Luiz Dos Santos, Universidade Unigranrio
Chair:             Ricardo Luiz Dos Santos, Universidade Unigranrio
          
Panelists:


  •  Nadeem Akhtar, Wuhan University:   Cross-Cultural Adaptation of African Students in Chinese Universities: An Analysis


  •  Terezinha Fatima Martins Franco Brito, Universidade Unigranrio:   The Texts, the Contexts and the Public Politics: How are They Promoted in Practical Educational Politician?


  •  Kelly Cristina da Silva Neves, Universidade Unigranrio:   In Search of the National Identity: Reflections of the Image of the Indian in Brazilian Novel


    Meu resumo:




    Martins Franco Brito, Terezinha Fatima, Universidade UNIGRANRIO, Brazil

    The Texts, the Contexts and the Public Politics: How are They Promoted in Practical Educational Politician?

    The work in appraise is a project that it intends to analyze the ties between public politics and the increasing occurrence of cases of the most varied forms of attention lack, difficulty in the understanding of texts, unfamiliarity of the meaning of usual words of our language and spiteful lack of respect for the figure of the adult/teacher. And to clarify the form as these politics approach the above-mentioned problems in the diverse social classes, if it there is distinction of treatment in relation to the involved sorts. The research of the object follows the study of bibliographical sources of consecrated authors in education and linguistics in Brazil. Using as instrument the bakhtinian discourse analysis in the inquiry of the deriving devices of the Public Politics in the area of Education and of the child and the adolescent, such as National Curricular Parameters, National Program of the Didactic Book and Statute of the Child and the Adolescent.

Eu estive lá em São Leopoldo - RS.





Entre os dias 7 e 9 de junho de 2010, o Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada 
da UNISINOS reuniu em São Leopoldo, RS, especialistas do exterior e de todo Brasil para refletirem sobre as relações entre Linguagem e interação. O Congresso Internacional Linguagem e Interação II pretendeu mostrar como a linguagem, aliada ao estudo da interação, é ferramenta fundamental em diferentes áreas de conhecimento e nas relações pessoais, educacionais e de trabalho.

Dessa forma, a partir da existência de várias abordagens teóricas sobre o tema, o evento ofereceu oportunidade de voz a diversos pontos de vista, ao mesmo tempo em que selecionou trabalhos que conseguiram conectar reflexão teórica e experiências reais, envolvendo linguagem e interação sob o prisma de várias temáticas e de diferentes realidades sociais.
Tais estudos são ainda dispersos no Brasil e objetiva-se o diálogo entre várias vertentes teóricas que tratam de questões relacionadas a linguagem e interação. Os eventos que se propõem a discutir essas questões são pautados geralmente pela sua cor teórica, fazendo com que o conhecimento avance numa única direção. O grande diferencial do evento proposto foi possibilitar o encontro de diferentes vertentes teóricas, dar-lhes voz, nas mesmas condições, e possibilitar o debate.
Como resultado do evento, houve a publicação de um cd-rom e de um número especial da Revista Calidoscópio. Espera-se que as trocas efetivadas permitam o reconhecimento do Brasil como um centro produtor de estudos interacionistas e a abertura de novas frentes de pesquisa que conjuguem olhares teóricos diversos e se voltem para diferentes campos de conhecimento. Quem fica de fora, realmente está por fora das propostas educacionais e, quem foi e pode partilhar, há um solo fértil que urge ser semeado! Para quem não valoriza ou perde seus semeadores, lamentamos...


Público-alvo
O público-alvo do Congresso foi formado por profissionais e estudantes das áreas de linguística aplicada, linguística, filosofia, ciências sociais, comunicação, administração, psicologia, psicanálise, fonoaudiologia, educação e ciência da computação.

domingo, 13 de junho de 2010

Será que pode virar música?




Inventou uma história
Meio sem pé e cabeça
“Como está seu dia-a-dia?”
Com voz de carneiro repetia...
Mas, na verdade era lobo
E prestou-se ao engodo
Sorriu, fingiu, contou fatos irreais
Fez cara de amigo
Mas foi mais um fingido
Serviu ao que o mal pediu
Pensa que não se feriu
E que “ficou bem na fita”
Não vai demorar e então colherá
O grande mal que ajudou
Em mais um Judas se tornou
E a colheita será farta...

Thera

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Mestranda em fase de dissertação


Li um texto e me inspirei para escrever esse. Há frases que foram copiadas, mas eu não conheço a fonte para colocar o link...


Good, win aqui descontrair um pouco! Vilches Maria, tô até misturando Matemática com Letras, porque essa vida de pesquisadora transdisciplinar é meio pesada! Benveniste, guri, que certas coisas não podem ser misturadas, daí!  Há dias que quase não dá pra Bronckartchê; temos que aceitar e esperar outro congresso. Volochinov tudo e ficou um rolo só! Isso só para sentir que ROXA NE ROJãO, não! Muito menos o Vale dos Sinos! Er... Não, eu tô mesmo quase perdendo a minha vida Saussureal. Quase Bakhtin com a cabeça de tantas dúvidas que surgiram! Isso sem contar nos nãos, sins e ãns do Heritagesticulando muito, hahaha!!! Por causa disso a Queca não sai da minha cabeça! Meu namoro quase fica por um Fiorin de nada só porque eu me aPHECHEUXnei pelo “amigo da onça”, kkkkkk...!. Não sei nem o que ele FARACOmigo. O pior é que ninguém nunca Maingueneau: eu já entrei sabendo de tudo, os professores avisaram que seria assim! Não se apeguem tanto ao objeto de pesquisa! Tenhamos FAIRCLOUGH isso tudo passa! Preciso da bebida preferida de DIONÍSIO! É uMACHADO, mesmo, hehehe!!! Mas, no churrasco não me tragam carne de BEZERRA porque o gosto não é bom! Acho que vou tirar o aparelho dos dentes e MOTTA-ROTH para não grudar carne! MIOTELLO ,mais carne, mesmo sabendo que gruda... CHOMSKY, CHOMSKY, eu não paro de mastigar! Tenham GODOY de mim  senão eu fico GOLDIM! 
Vocês acreditam que à noite eu tô até escutando coisas? É verdade: vou dormir ouvindo Eco... e Jakobson com um monte de loucura na cabeça! Tô Kafkando zureta mesmo e quase fazendo DILETA, me DELMANTO e uma taça de champanha com CEREJA  mesmo! Essa vida é Fódor demais, vivo até com medo de Meurer, o coração vai a Milner... É melhor eu ficar na MOITA e procurar meus enveLOPES de cartas para não cair na tentação de escrever mais e-mails... Tenho que terminar a dissertação, mas, sinceramente, tem um monte de texto que nem deu pra Miller. Sei da existência de Bathia e Adam, por exemplo, mas não li nem um dos Dolz. Como é que eu posso fazer essa bendita dissertação Schneuwly uns textos? Na verdade até tentei, Marcuschilei. Fazer o quê, né? Resultado: Foucault uma carne de CARNEIRO que, para quem me conhece, sabe o que eu penso do gosto e do cheiro! Magda Soares arrepiantes só de pensar no cheiro dessa carne!
“Ah, mas tem muita gente que Charaudeau muito mais que eu e ainda tá viva. Além do mais tem uns textos (bem poucos, é verdade!) que a gente falta é saber de Koch”. TADEU para ler alguns, rsrs!
É, o papo tá bom, mas deixa eu voltar pra minha leitura de um texto empoeirado que et alli faz é hora, só me esperando. Baaaaaaaaakhtin!!! Desculpa pelo espirro, pessoal. Meus Deus, Hasan essas horas!!! Depois dessa vou ficando por aqui mesmo. Não dá para usar cobertor de MORIN com esse frio! Estou TILIOtando, rsrs!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Tantas coisas na vida gostaríamos de saber...

Por que feriram tanto minha alma?
Já havia tantas cicatrizes que doiam...
Gostaria de ter aprendido piano...
Tantas coisas na vida gostaríamos de saber...
Uma vida só não basta.
Pintura, piano, balé, bordado, tapeçaria, costura...
História, Geografia, Medicina!
Idiomas, turismo, paleotologia,
Canto, culinária, esportes, pilotagem, jardinagem...
Aprendi apenas a traçar quadros de giz
Com as Letras que ainda aprendo!
Partilhar um pouquinho desse mínimo que aprendi...

Gostava muito de Angie, If, In the rain, Ever or never,
Rock and roll lullaby... Músicas que quase todas as meninas
da minha época gostavam e choravam ao ouvir...

Essa, uma canção de ninar, me lembra minha mãe...
Ela engravidou de mim sem a presença de pai.
Choro quando ouço.


http://www.youtube.com/watch?v=2SWUf5rIu9M

Somos para sempre

Quem disse que as pessoas são descartáveis?
Nem pessoas, nem animaizinhos, nem coisas...
Os antepassados existiram e terão sempre seu lugar em nossas lembranças...
Perdi meus dois tios e minha tia caçula e ninguém pode ocupar o lugar deles
Em meu coração...
Perdi minha cadelinha Misty e, por mais que ame os cãezinhos aqui de casa,
a recordação dela me faz sentir a ausência...
Tive um caderno de poesias que sumiu e, por mais que eu goste de escrever,
Jamais conseguirei relembrar tudo que escrevi lá desde meus doze anos...
As pessoas não são as mesmas, os bichinhos não são os mesmos,
As emoções não são as mesmas...
Cada um é único!
Você é pessoa única para mim.
Sabe, a maneira de ser, de cumprimentar, de olhar, de falar, de sorrir...
São marcas muito pessoais.
Ninguém as tomará de você, nem de mim!
Somos pra sempre, sendo assim.
Conferência Internacional sobre ‘Os Sete Saberes’

Horário: 21 setembro 2010 a 24 setembro 2010 Local: Fortaleza/Ceará Organizado por: UNESCO / UECE / UCB
Descrição do evento:


A UNESCO e a Universidade Estadual do Ceará, associadas à Universidade Católica de Brasília e à Universidade de Barcelona, acreditando na relevância das idéias e ideais estabelecidos na obra de Edgar Morin – Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro propõem-se a realizar, em Fortaleza/Ceará, no período de 21 a 24 de setembro de 2010, a Conferência Internacional sobre os Sete Saberes para uma Educação do Presente - e a encaminhar suas recomendações e sugestões à Assembléia Geral das Nações Unidades, até o final de 2010, para os devidos encaminhamentos de natureza político- administrativa. Este evento terá como Presidente de Honra o sociólogo e filósofo Dr. Edgar Morin e será presidido pelo Sr. Dr. Vincent Defourny, representante da UNESCO no Brasil, sendo prevista a participação local de mais de 1000 educadores e virtual de mais de 5000 pessoas, em salas de teleconferência distribuídas pelo país.

Objetivos e estrutura:

Esta conferência tem por objetivos desenvolver uma escuta pedagógica sobre as facilidades e dificuldades apresentadas pela comunidade educacional no desenvolvimento de práticas pedagógicas coerentes com as questões propostas no referido documento e extrair, dos diferentes círculos de diálogos e das conferências plenárias, elementos substantivos capazes de nortear possíveis recomendações a serem encaminhadas às diferentes instituições nacionais e internacionais, para futuros desdobramentos e financiamentos de projetos e atividades relacionadas a esta temática. Pretende-se, também, iniciar um profícuo diálogo entre escolas e universidades, para intercâmbio de saberes e de práticas pedagógicas capazes de iluminar novos cursos de formação docente, a partir da complexidade. Outro objetivo importante refere-se ao interesse no compartilhamento de experiências inovadoras fundamentadas na complexidade, na transdisciplinaridade e na ecoformação, capazes de colaborar para o desenvolvimento de uma pedagogia alternativa, a partir desses referenciais teóricos.

A estrutura de conteúdos da Conferência está organizada ao redor dos Setes Saberes para uma Educação do Futuro, de autoria de Edgar Morin, articulando-se ao redor dos seguintes blocos temáticos:

As cegueiras do conhecimento;
Os princípios do conhecimento pertinente;
Ensinar a condição humana;
Ensinar a identidade terrena;
Enfrentar as incertezas;
Ensinar a compreensão;
A ética do gênero humano;

PRESIDENTE DE HONRA
EDGAR MORIN

PRESIDENTE DA CONFERÊNCIA
Vicent Defourny – Representante da UNESCO/Brasil

VICE-PRESIDÊNCIA
Maria Cândida Moraes
Universidade Católica de Brasília (UCB)
Celina Magalhães Ellery
Universidade Estadual do Ceará (UECE)