Introdução

Mãe de 3 filhos (Rodrigo, Philippe e Fernanda), avó (quatro netas: Eduarda, Mirela, Luna e Laura), Supervisora Educacional, Profª aposentada de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira; Pedagoga e Pesquisadora, Graduada em Letras e Pedagogia e Pós-Graduada (Especialista em Língua Portuguesa e Iniciação Teológica); Mestre em Letras e Ciências Humanas. Trabalho muito, estudo bastante, adoro pesquisar, ler boas obras; folhear jornais e revistas, assistir telejornais; viajar, ir ao Shopping, utilizar a Internet. Crio algumas "quadrinhas", gosto de elaborar projetos que não sejam engavetados.

The Daily Puppy

Daily Calendar

Postagens populares

Total de visualizações de página

http://www.lokaliza.com.br

Notícias

Loading...

domingo, 25 de setembro de 2011

Em resposta a um comentário

Passar por quaisquer transtornos é algo que abala qualquer mortal. Somos mortais...
Por sermos mortais estamos sempre diante de desafios, aparentemente intransponíveis. Quem não passa por situações inusitadas e não esperadas? Terríveis situações que abalam as estruturas, inclusive cognitivas, visto que as neuronais ficam em bagaços... Por que escrevo isso? Porque já passei/passamos por etapas complicadas na vida. Uns mais, outros menos. Mas, há situações difíceis, sim.
Creio que, para quem deseja superar as próprias limitações, é necessário uma (re)descoberta daquilo que nos faz bem, o que faz a cada um(a) ser mais feliz. Se a questão passa por leituras, peguemos alguns dos livros que mais amamos ler em nossa meninice, adolescência, sei lá... Será que há quem nunca gostou de alguma história, mesmo que não a tenha lido num livro, mas que, ao menos alguém tenha lhe contado?
Feita essa busca nas lembranças, que tal "ler" realmente essa história? Ao lê-la, procure entender o que na história atrai a atenção e anote; faça registros de passagens, como quem faz um diário. Após ter essas anotações, verifique o que mais é recorrente, o que se destaca no que foi anotado. Que assunto é esse? O que há de estudos sobre esse assunto? Quando se encontra algo que gosta, fica mais fácil buscar, construir um referencial teórico para aprofundar o assunto e respaldar o que se pretende investigar com mais foco.
Entretanto, coloco aqui algumas de minhas referências teóricas... Quem sabe possa contribuir de alguma forma, no sentido de ajudar alguém a encontrar um caminho? Um forte abraço e tudo de bom e de Bem!



ALBUQUERQUE JR., Durval Muniz de. A Bela ou a Fera: os corpos entre a identidade da anomalia e a anomalia da identidade. In: Rago, Margareth; VEIGA-NETO, Alfredo (Orgs.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. p. 95-115. 432p

BAKHTIN, M.[1929]. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2006.

BAKHTIN, M.[1979]. Estética da criação verbal. São Paulo: Hucitec, 2003.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. 3 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e Estética. 3ª ed. Tradução de A. F. Bernardini. São Paulo: UNESP, 1997.

BARTHES, O rumor da língua. Tradução Márcio Laranjeira. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BATISTA, A; ROJO, R. Livros escolares no Brasil: a produção científica. In: Maria da Graça Costa Val e Beth Marcuschi (Orgs.). Livros didáticos de língua portuguesa: letramento e cidadania. Belo Horizonte: CEALE/Autêntica, 2005.

BENTES, A. C. Linguística textual. In: MUSSALIN, F. e BENTES, A. C. Introdução à Linguística domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001.

BEZERRA, Maria Auxiliadora. Textos: Seleção Variada e Atual. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva & BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.). O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

BEZERRA, Paulo. Polifonia. In: BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortês, 2009.

BLOMMAERT, J. Discourse. A critical introduction. Cambridge University Press, 2005. In: RESENDE, Viviane de Melo. Análise de discurso crítica e realismo crítico: implicações interdisciplinares. Campinas, SP: Pontes Editores, 2009.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola, 2008.

BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008.

BRAIT, Beth. Ironia em perspectiva polifônica. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2008.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Introdução à análise do discurso. 8ª ed. Campinas: UNICAMP, 2001.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Brasília, 20 de dezembro de 1996; 175º da Independência e 108º da República.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MECSEF, 1998.

BRASIL. SEF. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998

BRASIL, Ministério da Educação, Guia de livros didáticos PNLD 2011 : Língua Portuguesa, Ministério da Educação. Brasília: MEC, 2010, 152 páginas.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 1999.

CANDEAU, Vera Maria & MOREIRA, Antonio Flavio.  Multiculturalismo - Diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CARMAGNANI, A. M. Ensino apostilado e a venda de novas ilusões. In: CORACINI, M. J. (Org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes, 1999a. p. 45-55.

CASSIANO, Célia Cristina de Figuiredo. O mercado do livro didático no Brasil: da criação do Programa N acional do Livro Didático (PN LD) à entrada do capital internacional espanhol (1985-2007). Tese de Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade. São Paulo: PUC/SP, 2007.

CASTANHEIRA, Maria Lúcia. Aprendizagem contextualizada: discurso e inclusão na sala de aula. - 2ª ed. – Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2004.

CORACINI, Maria José Rodrigues Faria. (Org.) Interpretação, autoria e legitimação do livro didático: língua materna e língua estrangeira. – 1ª ed. – Campinas, SP: Pontes, 1999.

CORACINI, M. J. Apresentação. In: CORACINI, M. J. (Org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes, 1999a. p. 11-14.

CORACINI, M. J. O livro didático nos discursos da Lingüística Aplicada e da sala de aula. In: CORACINI, M. J. (org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes, 1999b. p. 17-26.

CORACINI, M. J. O processo de legitimação do livro didático na escola de ensino fundamental e médio: uma questão de ética. In: CORACINI, M. J. (org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes,1999c. p. 33-43.

CORACINI, M. J. A redação no livro didático e na sala de aula: criatividade e avaliação. In: CORACINI, M. J. (org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. São Paulo: Pontes, 1999d. p. 143-151.

CORACINI, M. J. (Org.). Identidade e discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas: Argo, Unicamp, 2003.

COSTA VAL, Maria da Graça. Atividades de Produção de Textos Escritos em Livros Didáticos de 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental. In Livro Didático de Língua Portuguesa, Letramento e Cultura da Escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. p. 125-152.

COUTO, R.M.S. Movimento Interdisciplinar de Designers Brasileiros em Busca de Educação Avançada. 280 p. Tese (Doutorado em Educação), PUC/Rio, 1997.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Tradução de Viviane Ribeiro.
Bauru: EDUSC, 2002.

DIJK, Teun A. van. Discurso e poder. São Paulo: Contexto, 2008.

DIONÍSIO, Ângela Paiva & BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.). O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

DOLZ, Joaquim & SCHNEUWLY, Bernardo e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, SP: Mercado das Letras. 2004 (Coleção as Faces da Linguística Aplicada).

DOLZ, Joaquim. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Tradução de Fabrício Decândio e Anna Rachel Machado. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2010.

FAIRCLOUGH, N. Discourse and social change. Cambridge: Polity Press, 1992. Apud TILIO, R. C. O livro didático de inglês em uma abordagem sócio-discursiva: culturas, identidades e pós-modernidade. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Departamento de Letras, 2006.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: UnB, 2001.

FIORIN, José Luiz. Linguagem e ideologia. São Paulo: Ática, 2007.

FOUCAULT. Michel. [1969]. A Arqueologia do Saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

FOUCAULT. Michel. [1970]. A ordem do discurso. Aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Título original: L’ordre Du discours. Leçon inaugurale au Collège de France prononcée le 2 decémbre 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola, [1996] 2009.

FOUCAULT. M. [1979]. Microfísica do Poder. Tradução de Roberto Machado. 25ª edição. Rio de Janeiro: Graal, [1979] 2008.

FLORENTINO, Adilson. Fundamentos da Educação1 para Licenciaturas. V.1. Rio de Janeiro : Fundação CECIERJ, 2008.

FREITAG, Bárbara et al. O Livro Didático em Questão. 2ª edição. São Paulo: Cortez, 1993

FREITAG, Bárbara. Teorias da Cidade. Campinas: Papirus, 2006.

GRIGOLETTO, Marisa. Leitura e Funcionamento Discursivo do Livro Didático. In DIONÍSIO, Ângela Paiva & BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.). O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. São Paulo: Ática, 2006.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva,
Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DPeA, 2006.

HALLIDAY, M. A. K.; MATTHIESSEN, C. M. I. M., Introducion To Functional Grammar. London: Arnold, third edition, 2004. Apud SOUZA, M. Medianeira. Transitividade e construção de sentido no gênero editorial. Tese de Doutorado. Recife: UFPE, Pós-graduação em Letras, 2006.

HALLIDAY, M. A. K. Language as social semiotic: the social interpretation of language and meaning. London: Edward Arnold, 1978. Apud TILIO, R. C. O livro didático de inglês em uma abordagem sócio-discursiva: culturas, identidades e pós-modernidade. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Departamento de Letras, 2006.

JOUVE, Vincent. A leitura. Tradução Brigitte Hervor. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

KOCH, Ingedore Villaça & ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2008

KLEIMAN, Angela. Texto e Leitor: Aspectos cognitivos da leitura. Campinas, SP: Pontes, 2008.

OLIVEIRA, Maria Marly de. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Discurso e Leitura. São Paulo: Cortez, 2006.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Discurso e Texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas, SP: EDIÇÃO Pontes Editores, 2008

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Tradução de Sírio Possenti. São Paulo: Parábola, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Compreensão de texto: algumas reflexões. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva & BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.). O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MOITA LOPES, L.P. Pesquisa interpretativista em Linguística Aplicada: a linguagem como condição e solução. D.E.L.T.A, v.10, n. 2, pp. 329 a 338, 1994.

MOITA LOPES, Luís Paulo da. Identidades Fragmentadas: A construção discursiva de raça, gênero e sexualidade na escola. Campinas: Mercado de Letras , 2002

MOITA LOPES, Luís Paulo da. Por uma linguística Aplicada Indisciplinar. Branca Fabrício... (et al); organizador Luiz Paulo da Moita Lopes. – São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MONTEIRO, A. M.(org); ALBUQUERQUE, L.S.; LAGES, P.A.; ALMEIDA, W. M. Educação para diversidade e cidadania. Recife: Ed. do Organizador, 2007.

RANGEL, Egon de Oliveira. Livro Didático de Língua Portuguesa: o retorno do recalcado. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva & BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.). O Livro Didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e questão ética. São Paulo: Parábola Editorial; 2003.

RESENDE, V. M. & V. RAMALHO. Análise de Discurso Crítica. São Paulo: Contexto, 2006.

RESENDE, Viviane de Melo. Análise de discurso crítica e realismo crítico: implicações interdisciplinares. Campinas, São Paulo: Pontes, 2009.
RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 2.ª ed. São Paulo: Atlas, 1989.
ROUANET, Sérgio Paulo. Mal-Estar na Modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
SACRISTÁN, José Gimeno. Os “inventores” da educação. E como nós apreendemos. In: SEBARROJA, Jaume Carbonell et al. (org.). Pedagogias do século XX. Porto alegre: Artmed,2003.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. In: Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. São Paulo : Cortez, 2000.

SANTOS FILHO, José Camilo dos & GAMBOA, Sílvio Sánchez (org.). Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SOARES, Magda. Linguagem e Escola: Uma perspectiva social. São Paulo : Ática, 2008.

SOBRAL, Adail. Filosofias (e filosofia) em Bakhtin. In: BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008.

SOUZA, M. Medianeira. Transitividade e construção de sentido no gênero editorial. Tese de Doutorado. Recife: UFPE, Pós-graduação em Letras, 2006.

TEIXEIRA, Anísio. Educação e universidade. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

TILIO, R. C. O livro didático de inglês em uma abordagem sócio-discursiva: culturas, identidades e pós-modernidade. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Departamento de Letras, 2006.

TRINDADE, Azoilda Loreto da. & SANTOS, Rafael dos. (orgs.). Multiculturalismo: mil e uma faces da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

VELHO, Gilberto. Projeto e Metamorfose. Antropologia das Sociedades Complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

Wittgenstein, Ludwig.[1921]. Tratado Lógico-Filosófico.. Jose Arthur Giannotti [Trad.].Tractatus logico-philosophicus. Traduzido do original: LOGISCH-PHILOSOPHISCHE ABHANDLUNG. São Paulo: Companhia N., 1968. 152 p.

Nenhum comentário: